Intermediários

Processos, ferramentas e ambientes para objetivos subjetivos

O que é invisível a nós? Que coisas escapam aos cinco sentidos, que estão presentes mas não podem ser definidas? Ou seria a pergunta, o que é o invisível?

Um objeto é comum. Porém quando é portador de um poder, o que passa a ser? Um talismã, uma arma, um instrumento? O poder transforma o objeto em um veículo, uma ferramenta que permite ao seu operador realizar o objetivo proposto. Igualmente, uma área quando designada e delimitada passa a ser o espaço que possibilita o acontecimento do objetivo proposto. E interessam também os espaços de fronteiras pouco definidas, como são os espaços emocionais e espirituais, da mesma forma os dos sonhos e os das fantasias. Espaços estes que são abstratos e impalpáveis, que se permeiam e se confundem entre si, onde entramos e de onde saímos constantemente sem nos dar conta.

Os objetos-espaços atuam entre o físico, o psicológico, o emocional e o invisível. São intermediários e como tal passam a depositários de possibilidades, poderes e anseios. Pontuam o silêncio. São ações poéticas que existem no vazio entre as continuidades.

Rodrigo Cardoso, 2006

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Curso de Canoagem Oceânica com Christian Fuchs no Rio de Janeiro

Nos das 28 e 29 de agosto aconteceu nas areias e nas águas da Praia da Urca o tão esperado curso de canoagem oceânica promovido pelo CCC em parceria com a Aroeira Outdoor.

Ministrado pelos professores Fuchs e Coquinho, ambos experientes instrutores formados pela Associação Americana de Canoagem e membros da equipe da Aroeira, o curso teve 15 participantes inscritos e contou com o apoio da Angela, Letícia, Raffa e Tonho que cuidaram para que não faltasse nada para a rapaziada na tenda de alimentação e hidratação. 

Depois de um papo inicial onde cada um colocou suas expectativas e motivaçõs com relação ao curso, seguiu-se uma palestra sobre materiais e equipamentos de canoagem. Usando uma linguagem simples e objetiva, Fuchs mostrou os diversos tipos de caiaque, chamando a atenção sobre as diferenças entre os variados tipos de cascos, considerando comprimento, largura, desenho da linha de quilha e shapes de proas e popas.
Também falou dos modelos de remo. Todos os tipos de pás estavam representadas  ilustrando com perfeição a explicação rica em detahes sobre suas características e funções. Foram apresentados também os flutuadores de remo (paddles floats), cabos de resgate e coletes de flutuação. Antes do intervalo para o almoço ainda vimos e praticamos as técnicas de remada para frente, para trás e as varreduras. Na parte da tarde foram demostradas as técnicas de deslocamento lateral, leme de popa, capotagens e reentradas sem e com auxilio de flutuadores de remo.

Tudo aconteceu num clima descontraido e bem humorado, no qual as informações eram permeadas de brincadeiras e gozações fraternas. O ambiente família foi marcado pela presença dos acompanhantes de alguns participantes, que deram uma força na organização e tiraram muitas fotos.
Como se não bastasse, ainda fomos contagiados pela alegria das crianças que se divertiam brincando na areia, correndo de um lado pro outro, banhando no mar.



O tempo também ajudou. As nuvens cobrindo o céu  filtraram o sol forte espantando banhistas e poupando a pele dos canoistas que passaram o dia todo na praia. Os trabalhos foram encerrados com um lanche e um último papo na maior descontração. 
À noite, Eu, Bruno, Marquinhos, Luiz Crisóstomo, Edu, Fuchs, Lu, Coquinho e Satyro nos encontramos no Art Hostel no Flamengo, cuja sala de tv foi gentilmente franqueada pelo Eduardo, proprietário da casa. Não vimos tudo porque a noite já ia avançada, estávamos todos cansados e ainda teríamos um dia todo de treino pela frente.

O segundo dia também foi intenso. O sol logo cedo já queimava as areias da PU prometendo não dar trégua durante o dia. A água amanheceu clara, mas com muitas algas que iam se depositando na beira da praia. O domingo de sol atraiu muita gente para a Urca, mas não chegou a atrapalhar a movimentação dos barcos na areia nem no mar.

Depois do papo inicial trabalhamos as manobras avançadas de apoio baixo, alto em oito, e as técnicas de resgate em T, em X, com flutuador. Quase ia esquecendo: também vimos um pouco de cartas náuticas. À tarde praticamos manobras de curva com apoio, adernação, leme de proa, deslocamentos laterais, puxadas laterais, resgates de proa e rolamentos.

O ambiente foi como na véspera. Imperava o clima de camaradagem com cada um cuidando de ajudar os colegas no desenvolvimento das técnicas. No final do dia, depois do encerramento das aulas, os participantes sairam para um passeio pela boca da barra onde puderam colocar em prática o aprendizado do fim de semana.

No retorno fizemos um lanche e tiramos as dúvidas remanescentes. O sol já tinha se escondido atrás das montanhas da cidade quando Eu, Flávia, Bruno, Marquinhos e Edu fomos embora, satisfeitos com o maravilhoso fim de semana e desejando repetir a dose o mais breve possível.

Pra encerrar, quero deixar registrado meus agradecimentos a todos os membros do CCC que contribuiram para a realização do curso, e parabenizar os dedicados participantes e o nosso competente professor. Um agradecimento especial para Flávia, Letícia, Angela, Bruno, Marquinhos, Raffa, Tonho Caranga e Marcão.
Em 10 anos de canoagem, foi a primeira vez que presenciei um evento desse tipo na nossa cidade e fiquei muito satisfeito de ver tanta gente engajada. Espero que possamos continuar treinando juntos, aperfeiçoando técnicas, aprofundando conhecimentos e estreitando nossos laços de camaradagem.

E não faltarão oportunidades, nem pretextos.  Teremos a regata da Escola Naval e a regata de 10 km do CCC ainda esse semestre. Quem tiver interesse em participar é só entrar em contato.
Outra coisa é que em breve organizaremos uma oficina de fabricação de sacos estanques e um mini curso de navegação com carta e bússola. Enfim, tem muita coisa pra acontecer até o fim do ano.


É isso aí galera. Parabéns! Valeu!
Um abraço a todos.
Vamos ao mar!

Para se iniciar ao Kayak de Mar no Rio de Janeiro, escreva para

Nenhum comentário:

Postar um comentário