Intermediários

Processos, ferramentas e ambientes para objetivos subjetivos

O que é invisível a nós? Que coisas escapam aos cinco sentidos, que estão presentes mas não podem ser definidas? Ou seria a pergunta, o que é o invisível?

Um objeto é comum. Porém quando é portador de um poder, o que passa a ser? Um talismã, uma arma, um instrumento? O poder transforma o objeto em um veículo, uma ferramenta que permite ao seu operador realizar o objetivo proposto. Igualmente, uma área quando designada e delimitada passa a ser o espaço que possibilita o acontecimento do objetivo proposto. E interessam também os espaços de fronteiras pouco definidas, como são os espaços emocionais e espirituais, da mesma forma os dos sonhos e os das fantasias. Espaços estes que são abstratos e impalpáveis, que se permeiam e se confundem entre si, onde entramos e de onde saímos constantemente sem nos dar conta.

Os objetos-espaços atuam entre o físico, o psicológico, o emocional e o invisível. São intermediários e como tal passam a depositários de possibilidades, poderes e anseios. Pontuam o silêncio. São ações poéticas que existem no vazio entre as continuidades.

Rodrigo Cardoso, 2006

quinta-feira, 31 de março de 2011

Redes abandonadas nas Cagarras matam peixes indiscriminadamente

Foto de Sérgio Jordão

Na Laje Banco do Brasil, no Arquipélago das Cagarras existem várias redes de pesca abandonadas, presas nas pedras e com muitos peixes agarrados, alguns já podres.
Todo dia tem barco colocando redes em vários locais do arquipélago. O problema é que quando o mar vira os pescadores são obrigados a abandonar as redes, que ficam presas matando de tudo, até que alguém as retire.
Além de prejudicar o ambiente e a fauna, afeta ao próprio pescador que perde a rede e ainda vê diminuir a quantidade de peixes, fonte do sustendo da sua família.

No dia 14 de maio está previsto um mutirão de limpeza no arquipélago com a participação de canoístas e mergulhadores membros do Conselho do MONA. Espero que seja possível aproveitar a ocasião para retirar essas redes fantasmas que estão matando peixes indiscriminadamente.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Nevoeiro sinistro

No último sabado baixou um nevoeiro sinistro na orla carioca. Situações assim requerem muita atenção por parte dos navegantes, principalmente remadores, pois a visibilidade fica muito reduzida.
Do alto do Forte da Laje, Eu, Leo, Gustavo e Érika ficamos observando as traineiras, veleiros e lanchas voltando do alto mar para se abrigarem nas águas da BG.
Engraçado é que quando voltamos pra enseada de Botafogo o céu estava claro e a visibilidade muito boa.

Pelo que observei e de acordo com o que li no livro "Meteorologia para Navegantes", concluí (sem muita certeza) que esse nevoeiro era do tipo de advecção, ou seja, um nevoeiro que se forma sobre o mar quando uma massa de ar úmido passa por uma superfície fria e se condensa a baixa altitude.











sexta-feira, 25 de março de 2011

Muitas felicidades

Comemoração dos aniversários da Teté e do Bruno na Cotunduba com a presença de 24 canoistas de caiaques, canoas e stand up.
Teve torta de chocolate, bolo de laranja, açaí, frutas e muita camaradagem.


terça-feira, 22 de março de 2011

Va´a Hoe Brasil 2011 - Taça Comodoro ICRJ

De: Comunicação Canoagem imprensa@cbca.org.br

Va’a Hoe Brasil 2011 - Taça Comodoro ICRJ
Etapa Sul-americana do Circuito Mundial de V1 Longa Distância
7° ano da prova de Va´a da Taça Comodoro
Categorias: V1 (canoa polinésia tradicional), V1R (com leme), V6 (6 remadores), K1 (caiaque oceânico individual), Surfski
Largada da prova de V6 da Taça Comodoro 2007 - Praia da Urca e Pão de Açúcar, Rio de Janeiro.
Iate Clube do Rio de Janeiro (Urca, RJ) e Projeto Grael (Niterói)
Sábado 30 de abril e Domingo 1° de Maio de 2011

A Taça Comodoro, tradicional regata de vela organizada pelo Iate Clube do Rio de Janeiro, inclui provas de Canoa Polinésia desde 2005.
A 7ª edição da prova de Va´a da Taça Comodoro 2011 será este ano o palco da prova Va’a Hoe Brasil 2011 – primeira Etapa Sul-americana do Circuito Mundial de V1 Longa Distância e pela primeira vez, a prova será também aberta para caiaque oceânico individual e surfski.
A prova internacional Va’a Hoe Brasil 2011 - Taça Comodoro ICRJ, 1ª edição da Etapa Sul-americana do Circuito Mundial de V1 é regulamentada pela Federação Internacional de Va’a (FIV), pela Confederação Brasileira de Canoagem (CBVa’a - Comitê de Va’a) e pela Federação de Canoagem do Estado do Rio de Janeiro (FECAERJ);
A prova é promovida pelo Rio Va’a Clube e o Iate Clube do Rio de Janeiro – Escola de Desportos Náuticos com o apoio do Projeto Grael e da Empresa Águas de Niterói.

INFORMAÇÕES:
http://www.cbca.org.br/arquivos/ckfinder/files/Programa%282%29.pdf
http://www.cbca.org.br/newcbca/evento/pagina/nome/convite/paginas_id/341/eventos_id/364

Arrumando a bagunça na Praia Vermelha

Não tem jeito mesmo. Faltando poucos meses para soprar a velinha de aniversário de um ano da bagunça na vaga ao lado do cavalete dos caiaques na PV, resolvi fazer alguma coisa.
Mesmo sendo um privilégio ter um barco na areia da praia, a vaga foi abandonada, deixando baratas, cupins e ratos tomarem conta do caixote, cada vez mais cheio de lixo.
Ia convivendo com a sujeira e mau cheiro, até que na sexta passada abriu-se um buraco na areia justamente onde passo pra pegar meu caiaque.
Não dava mais pra contornar. Passei a mão numa enxada e tratei de limpar o caixote, ou melhor, o buraco, pois do caixote mesmo não existia mais muita coisa. Botei fora lixo, tábuas podres e tapei a cratera com areia. Olha só o que saiu do buraco!

Passei um tempo alí trabalhando sob os olhares do Daniel e do Jorge até deixar tudo limpo. No final estava super satisfeito porque resolvi o meu problema e o do meu vizinho, sem briga ou discussão e, de quebra, ele garantiu que vai cuidar do espaço. Espero que sim, até porque manter limpo e arrumado é mais fácil do que limpar e arrumar.
Confesso que estava irritado por ter sido obrigado a fazer o "serviço", mas depois passou. Na verdade,  me senti bem não só porque o espaço ficou em ordem, mas porque  meu vizinho pôde trazer seu barco de volta para a vaga e, principalmente, porque reinaram a cordialidade e a paz.

Nam Myoho Rengue Kyo


sexta-feira, 4 de março de 2011

Regata Ratier 2011 - AVISO DE PROVA



II REGATA RATIER – 2011
3° ENCONTRO DE CONFRATERNIZAÇÃO DE CANOAGEM OCEÂNICA


AVISO DE PROVA

O Clube Carioca de Canoagem terá grande prazer em receber você e sua equipe de Canoagem para a II Regata Ratier – 3° Encontro de Confraternização de Canoagem Oceânica, a ser realizada no sábado, 7 de maio de 2011.
Quando Villegagnon chegou ao Rio de Janeiro em Novembro de 1555, percebeu a importância de fortificar a pequena Ilha situada na entrada da Baia de Guanabara para defender o que seria a França Antártica e instalou duas baterias de artilharia. A ilhota que passou a ser conhecida como “Le Ratier” logo foi abandonada e só voltou a ser reconstruída e ocupada muitos anos mais tarde pelos portugueses. O Forte Tamandaré foi desativado nos anos 90 e desde então tem sofrido com a ação do tempo, do mar e de vândalos que já levaram o pouco que restava desse verdadeiro patrimônio histórico e cultural do Rio de Janeiro e do Brasil.
A II Regata Ratier, organizada pelo Clube Carioca de Canoagem, assim como sua primeira edição ocorrida em 2010, representa um abraço simbólico no “nosso Laje”, e tem como objetivo promover a canoagem oceânica, oportunizando o encontro de canoístas de vários horizontes e buscando atrair um maior número de praticantes. O evento também pretende chamar a atenção para a necessidade de preservar os ambientes cultural, histórico e natural da Baía de Guanabara.

LOCAL E DATA:
Dia 7/05/2011, sábado, às 7h na areia da Praia da Urca, junto ao antigo Cassino.

PERCURSO:
O percurso será realizado parte ao longo da orla, parte atravessando o canal entre o Cara de Cão e o Forte da Laje. Com aproximadamente 5 km, começa na praia da Urca, segue na direção do Forte da Laje, que deverá ser contornado por bombordo (sentido anti-horário), para em seguida retornar à Praia da Urca.


SEGURANÇA:
Durante a prova os competidores serão acompanhados por três barcos motorizados: um barco batedor seguindo à frente dos primeiros colocados, um barco de retaguarda fechando o pelotão e um bote de acompanhamento cuidando do meio da prova. Todos os barcos de apoio deverão assistir as embarcações viradas, inundadas, danificadas ou incapazes de seguir a prova.
O uso de colete de flutuação será obrigatório para todas as classes de embarcação, sendo que os caiaquistas também deverão usar coberta contra respingos (saia).

ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE:
Os competidores participam do evento a seu próprio risco e responsabilidade. Os organizadores, instituições, entidades e indivíduos envolvidos com a realização do evento não aceitarão qualquer responsabilidade por perdas e danos materiais, físicos ou morte, que possam ocorrer a pessoas ou propriedades relacionadas diretamente com a prova, tanto em terra quanto no mar, como conseqüência da participação no evento.

ARBITRAGEM:
Apesar de constituir um evento festivo voltado para a confraternização entre canoístas, e a fim de assegurar a lisura da competição, um árbitro, auxiliado por um cronometrista, fará o controle da largada e da chegada. Um inspetor de percurso será responsável pela fiscalização do contorno do forte.

INSCRIÇÕES:
As fichas de inscrição deverão ser enviadas, juntamente com os comprovantes de depósito da taxa de inscrição, até sexta-feira, dia 29 de abril de 2011 para regataratier@gmail.com. A taxa de inscrição deverá ser depositada em favor do Clube Carioca de Canoagem (CNPJ 08.422.356/0001-25) no Banco Itaú, agência 0271, conta corrente 80573-1. O termo de responsabilidade deverá ser assinado e entregue no dia da prova na ocasião do recebimento dos numerais.

TAXA DE INSCRIÇÃO:
Com objetivo de facilitar a organização e de fazer uma previsão orçamentária mais equilibrada, evitando gastos desnecessários, esse ano teremos taxas com valores diferenciados em função da antecedência dos pagamentos.
Até 31 de março de 2011: R$ 25,00 (vinte e cinco Reais)
Até 29 de abril de 2011: R$ 35,00 (trinta e cinco Reais)
No dia da prova: R$ 50,00 (cinqüenta Reais)

CLASSES DAS EMBARCAÇÕES:
Caiaque oceânico (simples e duplos): comp. mín. de 4,61m e larg. mín. de 45 cm
Caiaque turismo (simples): comp. mín. de 4m, máx. de 4,60 e largura mínima de 50 cm

Caiaque Sit on Top (simples): sem restrições
Canoa havaiana (simples e duplas): sem restrições

CATEGORIAS E PREMIAÇÕES:
Sênior individual masculino (até 34 anos) – 1º, 2º e 3º lugares
Sênior individual feminino (até 34 anos) – 1º, 2º e 3º lugares
Máster individual masculina (acima de 34 anos) – 1º, 2º e 3º lugares
Máster individual feminina (acima de 34 anos) – 1º, 2º e 3º lugares
Open dupla masculina – 1º, 2º e 3º lugares
Open dupla feminina – 1º, 2º e 3º lugares
Open dupla mista – 1º, 2º e 3º lugares

PROGRAMAÇÃO E PROCEDIMENTO DE LARGADA:
07h00 – início da secretaria
08h00 – fim das inscrições
08h15 – briefing
08h30 – entrada dos competidores na água
08h45 – apitada de atenção: competidores se dirigindo para a área de largada
08h55 – apitada de preparação: competidores posicionados na área de largada
09h00 – tiro de largada
10h30 – premiação
11h00 – confraternização

OBS 1: caso haja muitos inscritos, as largadas poderão ser por categoria.
OBS 2: em caso de mau tempo, será proposto um percurso alternativo em águas abrigadas. Se mesmo o percurso alternativo não puder ser realizado, a prova será adiada para o sábado seguinte.

Participem!!!

Clube Carioca de Canoagem - CCC