Intermediários

Processos, ferramentas e ambientes para objetivos subjetivos

O que é invisível a nós? Que coisas escapam aos cinco sentidos, que estão presentes mas não podem ser definidas? Ou seria a pergunta, o que é o invisível?

Um objeto é comum. Porém quando é portador de um poder, o que passa a ser? Um talismã, uma arma, um instrumento? O poder transforma o objeto em um veículo, uma ferramenta que permite ao seu operador realizar o objetivo proposto. Igualmente, uma área quando designada e delimitada passa a ser o espaço que possibilita o acontecimento do objetivo proposto. E interessam também os espaços de fronteiras pouco definidas, como são os espaços emocionais e espirituais, da mesma forma os dos sonhos e os das fantasias. Espaços estes que são abstratos e impalpáveis, que se permeiam e se confundem entre si, onde entramos e de onde saímos constantemente sem nos dar conta.

Os objetos-espaços atuam entre o físico, o psicológico, o emocional e o invisível. São intermediários e como tal passam a depositários de possibilidades, poderes e anseios. Pontuam o silêncio. São ações poéticas que existem no vazio entre as continuidades.

Rodrigo Cardoso, 2006

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Brasil se classifica para duas Finais B no Mundial de Canoagem Velocidade

Wladimir Moreno no C1 1000m e a dupla Erlon Souza e Ronilson Oliveira no C2 1000m garantem vaga para as Finais B que acontecem neste sábado

Os melhores canoístas do planeta estão reunidos até este próximo domingo em Poznan, na Polônia, para a disputa do Campeonato Mundial de Canoagem Velocidade 2010. Dos últimos anos para cá o Brasil vem em uma melhora significativa em seus resultados e segue fazendo história na competição. A última conquista foi a classificação do C1 1000m e do C2 1000m, ambos no masculino, para as Finais B do evento, fatos inéditos na canoagem brasileira até hoje.
“Pela primeira vez um canoísta brasileiro vai à uma Final B na distância de mil metros em um barco individual. Conquista inédita para o esporte brasileiro com o atleta Wladimir Moreno”, comemorou Pedro Sena, técnico de canoa da Confederação Brasileira de Canoagem.
Outro resultado inédito também foi a conquista da vaga para a Final B no C2 1000m com a dupla Erlon Souza e Ronilson Oliveira. Os dois talentos vêm quebrando tabus e escrevendo seus nomes na história da canoagem brasileira. Em quatro eventos que participaram conseguiram resultados surpreendentes. Ao total foram três medalhas de ouro nos Jogos Sul-americanos, na Colômbia, uma medalha de bronze na Copa do Mundo de Canoagem Velocidade, na Alemanha, e agora mais esse resultado na Polônia.
Na semifinal 1 do C1 1000m Masculino o atleta brasileiro Wladimir Moreno chegou na sexta posição com o tempo de 4:13.313 e garantiu presença na Final B, marcada para acontecer na manhã deste sábado. Já na semifinal 2 do C2 1000m Masculino a dupla formada por Erlon Souza e Ronilson Oliveira também garantiu presença na Final B da categoria ao chegar em sexto lugar da semifinal com o tempo de 3:45.473, com a final também marcada para a manhã de sábado.
Na disputas de Paracanoagem o atleta brasileiro José Fernando Oliveira conquistou o terceiro lugar no V1 LTA em sua bateria, contudo, o resultado oficial não foi divulgado pelo cancelamento da segunda bateria devido ao forte temporal que atingiu Poznan antes da prova, colocando em risco a segurança dos atletas.
Amanhã os canoístas brasileiros entrarão novamente na água para as provas de 500 metros, distância onde o Brasil tradicionalmente conquista bons resultados.
Para o presidente da Confederação Brasileira de Canoagem, João Tomasini Schwertner, a crescente conquista de resultados da canoagem brasileira se deve ao trabalho de reestruturação que a modalidade está realizando. “Estamos tomando uma série de iniciativas em prol do desenvolvimento da Canoagem Velocidade, e também da Canoagem Slalom, pois um dos nossos principais objetivos é a conquista de uma medalha olímpica no Rio 2016”, ressaltou.
Os atletas que representam o Brasil no evento são: Nivalter Santos, Wladimir Moreno, Erlon Souza e Ronilson Oliveira na canoa masculina; Ricardo Barreto e Givago Bittencourt no caiaque masculino; Valdenice Nascimento, Luciana Costa e Camila Lima na canoa feminina; e José Agmarino Coelho, o ex-BBB Fernando Fernandes, Marta Santos e José Fernando Oliveira na paracanoagem.
Além dos atletas a delegação brasileira também é composta dos técnicos Pedro Sena e Álvaro Koslowsky (chefe de equipe), médico Henrique Calheiros, fisioterapeuta Pedro Lotti e do presidente da entidade João Tomasini Schwertner.
A delegação brasileira realizou treinamento na Europa e participa do Campeonato Mundial de Canoagem Velocidade 2010 com recursos oriundos do Comitê Olímpico Brasileiro por meio da Lei Agnelo/Piva, e também conta com apoio e patrocínio da portuguesa NELO e da polonesa PLASTEX, empresas líderes no mundo na produção de caiaques e canoas.

Para conferir os resultados clique no link abaixo:



De: Comunicação Canoagem imprensa@cbca.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário