Intermediários

Processos, ferramentas e ambientes para objetivos subjetivos

O que é invisível a nós? Que coisas escapam aos cinco sentidos, que estão presentes mas não podem ser definidas? Ou seria a pergunta, o que é o invisível?

Um objeto é comum. Porém quando é portador de um poder, o que passa a ser? Um talismã, uma arma, um instrumento? O poder transforma o objeto em um veículo, uma ferramenta que permite ao seu operador realizar o objetivo proposto. Igualmente, uma área quando designada e delimitada passa a ser o espaço que possibilita o acontecimento do objetivo proposto. E interessam também os espaços de fronteiras pouco definidas, como são os espaços emocionais e espirituais, da mesma forma os dos sonhos e os das fantasias. Espaços estes que são abstratos e impalpáveis, que se permeiam e se confundem entre si, onde entramos e de onde saímos constantemente sem nos dar conta.

Os objetos-espaços atuam entre o físico, o psicológico, o emocional e o invisível. São intermediários e como tal passam a depositários de possibilidades, poderes e anseios. Pontuam o silêncio. São ações poéticas que existem no vazio entre as continuidades.

Rodrigo Cardoso, 2006

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Primeira Regata Vogalonga: maratona a remo na Baía de Guanabara

O Centro Náutico Calabouço está entrando em contato com os clubes de canoagem do Rio de Janeiro para tentar viabilizar a Primeira Regata Vogalonga a ser realizada na Baia de Guanabara em 2011.
Vejam o que é feito em Veneza:
http://www.vogalonga.com/eng/index_ing.asp
O Centro Nautico Calabouço é uma associação dos clubes de remo localizados no Calabouço (Clube de Regatas Boqueirão do Passeio, Clube Internacional de Regatas e Clube de Natação e Regatas Santa Luzia), dedicado a revitalização das atividades nauticas no local.
Proposta preliminar:
OBJETIVOS
Os principais objetivos da Regata Vogalonga, são os seguintes:
• Glorificação da Força Humana
Com um caráter festivo e aberto à população, a Regata Vogalonga visa primordialmente glorificar a força humana, através de uma verdadeira maratona náutica nas águas da Baía de Guanabara, berço do remo carioca.
• Apelo à Recuperação Ambiental
A realização da Regata Vogalonga resgata a utilização da Baía de Guanabara para a prática do remo e de outros esportes náuticos, como a canoagem, todos irmanados no apelo ecológico para a recuperação de suas águas.
PERCURSO
A Regata Vogalonga será realizada no seguinte percurso de aproximadamente 22 km:
Saída das embarcações na Enseada do Calabouço, Praia do Flamengo, Enseada de Botafogo, de onde seguirão em paralelo ao costado da Urca, Forte de São João, Ilha da Lage, Fortaleza de Santa Cruz, Jurujuba, São Francisco, Icaraí, Gragoatá, nova travessia da baia até o Aeroporto Santos Dumont, Escola Naval, e chegada na enseada do Calabouço.
DATA
A definir, provavelmente nos meses de maior calmaria, entre maio e setembro de 2011.
REGULAMENTO
Por tratar-se de uma regata aberta à população, serão aceitas inscrições de qualquer tipo de barcos movidos exclusivamente pela força humana. A largada se fará quando todos os barcos do tipo yole a 8 remos estiverem alinhados no respectivo ponto de partida.
As guarnições são abertas a participantes de qualquer faixa etária ou sexo, podendo ser mistas.
Embarcações de qualquer tipo poderão participar, desde que movidas pela força do homem: yoles, canoes, gigs, caiaques, canoas, escaleres, canoas havaianas, stand up padle, etc.
ORGANIZAÇÃO
Centro Náutico Calabouço, com o apoio da FRERJ – Federação de Remo do Estado do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário