Intermediários

Processos, ferramentas e ambientes para objetivos subjetivos

O que é invisível a nós? Que coisas escapam aos cinco sentidos, que estão presentes mas não podem ser definidas? Ou seria a pergunta, o que é o invisível?

Um objeto é comum. Porém quando é portador de um poder, o que passa a ser? Um talismã, uma arma, um instrumento? O poder transforma o objeto em um veículo, uma ferramenta que permite ao seu operador realizar o objetivo proposto. Igualmente, uma área quando designada e delimitada passa a ser o espaço que possibilita o acontecimento do objetivo proposto. E interessam também os espaços de fronteiras pouco definidas, como são os espaços emocionais e espirituais, da mesma forma os dos sonhos e os das fantasias. Espaços estes que são abstratos e impalpáveis, que se permeiam e se confundem entre si, onde entramos e de onde saímos constantemente sem nos dar conta.

Os objetos-espaços atuam entre o físico, o psicológico, o emocional e o invisível. São intermediários e como tal passam a depositários de possibilidades, poderes e anseios. Pontuam o silêncio. São ações poéticas que existem no vazio entre as continuidades.

Rodrigo Cardoso, 2006

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Ulmo, o jovem

Por Tonho Caranguejo
Do fórum do CCC

Meu nome é Ulmo mas sou conhecido como Ulmo:o jovem.Meu humano se chama Antonio Magnago mas é conhecido como Tonho Caranguejo...sua história de vida é bem complicada mas quando nos encontramos novamente nesta era dos homens,renovamos nosso antigo juramento...juramento esse que é tentar levar alegria e amor ao próximo...sou apenas um caiaquezinho amarelo e feito de fibra e nailon nos meus cordames mas quando nasci,entendi desde jovem que tinha que acompanhar esse humano meio crustácio...
Segundo meus mentores,Mestre Drago e Rainha Maia,tenho uma missão a cumprir...e acho que tenho uma ligação profunda com Ulmo:o poderoso...rei dos mares e amigo dos bons navegantes.
Lembro que quando nasci e era jovem e imaturo,conheci a formosa Elisa,minha companheira e amiga por uma vida...navegando pela Baía de Guanabara,contemplamos a Lua e peixes de prata nos saudaram varias e varias vezes...navegando em mares bravios e plácidos entendemos que nossa ligação vem desde o tempo sem começo e remada após remada,fortalecemos o nosso lindo laço de amizade e compaixão com o mundo dos humanos...não somos deuses ou santos mas temos,eu,Caranguejo,Elisa e Flávia muito amor no coração e coragem...
coragem pra encarar qualquer pedreira cotidiana e qualquer caramunhão tentando secar ou separar nossas vidas...lembro também que antes de me juntar ao Caranguejo,ele navegou e aprendeu muito com Elisa...leme com o remo,jogo de cintura"Tonho,corpo pra um lado,barco pro outro.essa é a regra de navegação em caiaque." Graças a essa força toda que Elisa e Flavia deram pra gente,acredito que estamos preparados pra qualquer destino e missão...e firme na pegada do remo!!!
Gostaria de dizer OBRIGADO a vocês duas, formosas companheiras e amigas...não seriamos nada se não fosse a amizade e carinho que nos deram...amamos vocês por uma vida de bons amigos que somos e sempre seremos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário