Intermediários

Processos, ferramentas e ambientes para objetivos subjetivos

O que é invisível a nós? Que coisas escapam aos cinco sentidos, que estão presentes mas não podem ser definidas? Ou seria a pergunta, o que é o invisível?

Um objeto é comum. Porém quando é portador de um poder, o que passa a ser? Um talismã, uma arma, um instrumento? O poder transforma o objeto em um veículo, uma ferramenta que permite ao seu operador realizar o objetivo proposto. Igualmente, uma área quando designada e delimitada passa a ser o espaço que possibilita o acontecimento do objetivo proposto. E interessam também os espaços de fronteiras pouco definidas, como são os espaços emocionais e espirituais, da mesma forma os dos sonhos e os das fantasias. Espaços estes que são abstratos e impalpáveis, que se permeiam e se confundem entre si, onde entramos e de onde saímos constantemente sem nos dar conta.

Os objetos-espaços atuam entre o físico, o psicológico, o emocional e o invisível. São intermediários e como tal passam a depositários de possibilidades, poderes e anseios. Pontuam o silêncio. São ações poéticas que existem no vazio entre as continuidades.

Rodrigo Cardoso, 2006

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Tipos de Nuvens

As nuvens se formam quando o ar atinge uma temperatura abaixo do ponto de orvalho e se condensa. Na troposfera, o ar se resfria em altitude, logo, quando uma massa de ar sobe, tende a se condensar formando nuvens.
As massas de ar ganham altitude quando: o ar quente é empurrado para cima por uma massa de ar frio, mais pesada, se deslocando rente ao solo; o ar é aquecido pela superfície da terra, dilatando-se, ficando mais leve e subindo; o ar em deslocamento sobe ao longo de uma encosta ou relevo do terreno.
Existem dez tipos principais de nuvens que podem se apresentar isoladas ou associadas entre si.
O desenho abaixo mostra uma síntese desses tipos de nuvens.
É importante reconhecer os tipos de nuvens, pois revelam as condições do tempo. Nuvens são mensageiras do tempo.

Cirros (Ci)
Nuvens altas, brancas; delicadas; com aspecto de filamentos de lã e sem sombras, que se acumulam num céu claro. Em geral indicam bom tempo mas quando têm as pontas retorcidas, com aspecto de rabos de galos, apontam uma mudança do tempo.

Cirros-estratos (Cs)
Véu de aparência leitosa que cobre o céu gradualmente formando halos em torno do sol e da lua. É sinal de aproximação de uma área de baixa pressão e de chuva iminente.

Cirros-cumulos (Cc)
Esbranquiçadas e transparentes, dispostas em linhas ou ondas, aparecem como pequenos flocos parecendo ondulações da areia da praia. Não têm sombras. Indicam bom tempo.

Alto-estratos (As)
Formam um véu grosso e mais escuro que as Cs, ofuscando o sol e a lua. Alerta para a formação de uma área de baixa pressão com aproximação de chuvas, baixa visibilidade e ondas grandes.

Alto-cumulus (Ac)
Apresentam-se de forma regular em lâminas, faixas, rolos ou em pedaços. Sua cor varia do branco brilhante ao cinza. Quando baixas e grossas, podem produzir chuva forte e trovoadas, mas que não duram muito tempo.

Estrato-cumulos (Sc)
Podem ter aspecto de lâminas, rolos ou glóbulos, com contornos imprecisos e cor cinza. Raramente geram chuvas.

Estratos (St)
Nuvens baixas se apresentando como nevoeiros dispostos em camadas horizontais formados pelo resfriamento do ar sem movimento ascendente. As estratos podem ser bastante espessas e cobrir completamente a luz do sol, mas produzem apenas uma fina garoa como precipitação.

Nimbo-estratos (Ns)
Camada de nuvens baixas, espessas e negras, sem forma precisa, que anunciam mau tempo, com chuva, vento forte e difíceis condições de navegação, principalmente para pequenas embarcações. Podem ser acompanhadas por fragmentos soltos de estratos quando há vento forte.

Cumulus (Cu) 
Grandes nuvens brancas e brilhantes localizadas em altitudes médias. Típicas de verão, quando o ar aquecido pela superfície sobe, formando nuvens em forma de flocos de algodão com áreas brilhantes e outra sombreadas. Quando pequenas, as cúmulos se dissolvem à noite e indicam bom tempo.

Cúmulo-nimbos (Cb)
Nuvens muito altas, com grande desenvolvimento vertical e aspecto de couve-flor (cumulocongestus) anunciam pancadas de chuva e trovoadas na parte da tarde. Quando o crescimento é muito acentuado, tomam aspecto de torres com topo achatado em forma de bigorna e uma aparência escura e tempestuosa, alertando para uma tempestade com ventos e chuvas fortes, raios e trovoadas.
Fonte:

Um comentário:

  1. Boa!! Já tinha estudado as nuvens na matéria "Meteorologia e climatologia" na engª Ambiental.

    ResponderExcluir