Intermediários

Processos, ferramentas e ambientes para objetivos subjetivos

O que é invisível a nós? Que coisas escapam aos cinco sentidos, que estão presentes mas não podem ser definidas? Ou seria a pergunta, o que é o invisível?

Um objeto é comum. Porém quando é portador de um poder, o que passa a ser? Um talismã, uma arma, um instrumento? O poder transforma o objeto em um veículo, uma ferramenta que permite ao seu operador realizar o objetivo proposto. Igualmente, uma área quando designada e delimitada passa a ser o espaço que possibilita o acontecimento do objetivo proposto. E interessam também os espaços de fronteiras pouco definidas, como são os espaços emocionais e espirituais, da mesma forma os dos sonhos e os das fantasias. Espaços estes que são abstratos e impalpáveis, que se permeiam e se confundem entre si, onde entramos e de onde saímos constantemente sem nos dar conta.

Os objetos-espaços atuam entre o físico, o psicológico, o emocional e o invisível. São intermediários e como tal passam a depositários de possibilidades, poderes e anseios. Pontuam o silêncio. São ações poéticas que existem no vazio entre as continuidades.

Rodrigo Cardoso, 2006

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

RUMO SUL: REMANDO COM GOLFINHOS



Pedro Ceglia e Rodrigo Magalhães são amigos desde 2001 quando se encontraram no mar, cada um em seu caiaque, remando pela orla carioca. Ambos estavam começando na canoagem oceânica e tinham sonhos semelhantes. Queriam explorar o litoral, desembarcar nas ilhas, conhecer a fauna e compartilhar suas descobertas. Desde então realizaram diversas viagens e travessias em caiaque, das quais destacam-se uma travessia Rio - Ubatuba e 6 circunavegações da Ilha Grande, além de vários pequenos passeios que permitiram a exploração de todas as ilhas do Rio e de Niteroi.

Em 2006, juntaram-se a outros canoistas para fundar o Clube Carioca de Canoagem, associação desportiva sem fins lucrativos, filiada à Confederação Brasileira de Canoagem, cujo objetivo é promover a prática da canoagem oceânica recreativa permeada pela consciência da necessidade de preservar o ambiente marinho e costeiro. Hoje, o CCC participa dos eventos de limpeza das praias (Clean Up the World) promovido pelo Instituto Aqualung, promove mutirões de limpeza na Reserva Biológica da Praia do Sul em associação com direção do Parque Estadual da Ilha Grande, e faz parte do Conselho Consultivo do MONA Cagarras e da rede de colaboradores do projeto Golfinhos Flipper.

Agora, em janeiro de 2012, Pedro e Rodrigo pretendem percorrer aproximadamente 800km em 30 dias, registrando avistamentos de golfinhos-flíper (Tursiops truncatus), a fim de obter dados sobre áreas de ocorrência para a pesquisa da Bióloga Marinha Liliane Lodi do projeto Golfinho-Flíper. Os registros em imagens das nadadeiras dorsais dos golfinhos serão usados para posterior identificação e comparação com o catálogo das Cagarras. Além dos golfinhos, os remadores também vão retratar locais, paisagens, elementos da fauna e da flora, pessoas, bem como possíveis sinais de degradação ambiental (presença de óleo, lixo, desflorestamento, erosão de encostas).

A ideia dos dois canoistas é partir de Conceição de Jacareí (Mangaratiba- RJ) e remar rumo ao Sul, passando pela face Sul da Ilha Grande, onde participarão de um mutirão de limpeza na Reserva Biológica da Praia do Sul com mais de vinte outros canoistas. Depois continuarão até a Ilha de São Sebastião e se tudo correr bem seguirão até Santos. Partem em rumo Sul. Se não houver impedimentos de saúde e meteorológicos, reabastecerão o caiaque e descerão para Cananéia e assim por diante até Florianópolis.

Não será nada fácil completar o trajeto e realizar os objetivos propostos. No decorrer da viagem terão que superar limitações físicas, mas também terão que contar com boas condições meteorológicas e muitos recursos. Para viabilizar esse projeto, antes mesmo de partir, correram atrás de vários parceiros para poder dispor de materiais de canoagem (caiaque, remos, saias, coletes...), equipamentos para registros de imagens em foto e vídeo (filmadora e máquina fotográfica a prova d'água), alimentação liofilizada, materiais de primeiros socorros, equipamentos de navegação (bússola, GPS, cartas), sinalizadores pirotécnicos, rádios comunicadores, transporte aéreo e terrestre para retornar ao Rio de Janeiro, hospedagem, entre outros.

Contam, até o momento, com o apoio da Gol Linhas Aéreas; da Staff Medic, medicina de urgência; Gatorade, bebida isotônica; Herbalife nutrição; Instituto Aqualie; Projeto Golfinhos Flíper; Instituto Mar Adentro; Bar e Restaurante Baixo Gago; Programa Consciência Ambiental da Rádio Oceânica de Niterói; site cagarras.com; Adventura, loja de artigos esportivos; Graphimage Design; Promarca Marketing Promocional; Papelaria Holiday; Lions Club; Secretaria de Esportes da Prefeitura do Rio de Janeiro; Clube Carioca de Canoagem; Canoa Brasil e Opium Caiaques.

"Estamos muito felizes com as parcerias firmadas, pois, além de viabilizarem a travessias e garantirem as condições necessárias para alcançármos nossos objetivos,  nos fazem sentir como verdadeiros privilegiados por poder contar com a confiança e o apoio de tanta gente boa" Diz Pedro.

Ainda que não tenham condições de garantir divulgação na grande mídia, tentarão, contudo, divulgar vídeos, fotos e relatos nas mídias sociais do CCC (fórum, blog, site, FB...) e nos sites dos parceiros do projeto. Também estão comprometidos com a realização de palestras motivacionais e educacionais, pois uma empreitada desse tipo tem profunda relação com questões relacionadas a valores fundamentais para o desenvolvimento do potencial humano, seja na empresa, seja na escola, seja na sociedade de uma maneira geral.

"Antes de ganhar o mar queremos agradecer a todos que nos ajudaram, não só empresas e associações, mas também a pessoas como o Leo Geluda e Érika, pelo empréstimo do belo caiaque Atlantic, à Dominique Colinvaux, que nos presenteou com uma máquina fotográfica a prova d'água para fazer os registros dos golfinhos e, é claro, a Liliane Lodi por nos permitir contribuir para sua pesquisa, o que, definitivamente, deu letras de nobreza à nossa aventura." Conclui Rodrigo.

Rodrigo e Pedro partem para uma grande aventura unindo esporte, saúde, lazer, ecologia, preservação e educação ambiental. Que os deuses do mar os permitam seguir em segurança.

Boa sorte aos dois. Rumo Sul!

O Projeto Rumo Sul tem o apoio de:


















4 comentários:

  1. Muito interessante o seu projeto. Seria possível obter mais informações, como o cronograma? Abraço,
    Leonardo Esch.

    www.leonardoesch.blogspot.com

    leo_esch@yahoo.com

    ResponderExcluir
  2. Fala, Leo!
    Hoje estamos indo para Conceição de Jacareí. Amanhã daremos a primeira colherada às 7, com destino a Dois Rios na Ilha Grande. Quarta, dia 4, partimos para Parnaioca e quinta, dia 5, faremos um mutirão de limpeza na Praia do Sul. Depois do mutirão retornaremos para Parnaioca e dia 6, sexta, seguimos para Praia Negra ou alguma outra praia nas proximidades. No sábado passaremos na Ilha das Couves e, se der, vamos para Ilha Anchieta. No dia seguinte, domingo, se tudo correr bem, estaremos na Ilha Bela. Ainda não decidimos se seguiremos contornando a face sul da Ilha de São Sebastião ou se passaremos pelo canal. Tentaremos enviar notícias para o fórum do CCC. Abração.

    ResponderExcluir
  3. Fala Rodrigo, muito irada a aventura! Boa sorte irmao! Se puder passar por fora da Ilhabela, vale a pena, foi um dos lugares mais bonitos que ja remei, super selvagem, adrenalina! Bons ventos os levem! Abracao

    ResponderExcluir
  4. Valeu, André!
    Passamos pela face Sul da Ilha. O visual é realmente incrível e selvagem. Dureza não foi o mar, nem o vento... foram os borrachudos! Nunca vi tão vorazes quanto no Ribeirão do poço! Fiquei com o pé inchado e até criamos uma coreografia para a dança dos borrachudos :)
    Abração.

    ResponderExcluir