Intermediários

Processos, ferramentas e ambientes para objetivos subjetivos

O que é invisível a nós? Que coisas escapam aos cinco sentidos, que estão presentes mas não podem ser definidas? Ou seria a pergunta, o que é o invisível?

Um objeto é comum. Porém quando é portador de um poder, o que passa a ser? Um talismã, uma arma, um instrumento? O poder transforma o objeto em um veículo, uma ferramenta que permite ao seu operador realizar o objetivo proposto. Igualmente, uma área quando designada e delimitada passa a ser o espaço que possibilita o acontecimento do objetivo proposto. E interessam também os espaços de fronteiras pouco definidas, como são os espaços emocionais e espirituais, da mesma forma os dos sonhos e os das fantasias. Espaços estes que são abstratos e impalpáveis, que se permeiam e se confundem entre si, onde entramos e de onde saímos constantemente sem nos dar conta.

Os objetos-espaços atuam entre o físico, o psicológico, o emocional e o invisível. São intermediários e como tal passam a depositários de possibilidades, poderes e anseios. Pontuam o silêncio. São ações poéticas que existem no vazio entre as continuidades.

Rodrigo Cardoso, 2006

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Um belo amanhecer

Aloha amigos,
Hoje realmente valeu o amanhacer...acordamos cedo e partimos,eu e meu amigo Fitarone,pra mais um dia de treino...saindo do Leme as 05;45 da matina,testemunhei um belo nascer do Sol no Mar...ac cores variavam de azul claro ou turquesa,rosa ou salmão,cinza ou branco enfim,uma miscelânia de cores e já,bastante calor...chegando em frente a padaria e o boteco,(tem um pão com ovo danado de ruim como café matinal)visualizei outro bonito fenômeno da natureza:um belo arco-íris atrás do Cristo Redentor...como sempre espirítual a parada sabe?
Chegando na Praia da Urca vimos um bando enorme de Biguás pescando e se fartando com um grande cardume de peixinhos prateados...esses cormorões são bem engraçados...ao pousar na agua,eles espixam as patas e fazem as nadadeira de trem de pouso ou melhor,esqui de pouso,igual a um pequeno hidroavião...bem bacana e bem divertido ver os bichos pousando meio sem jeito e as vezes,catando cavaco...legal...
A remada foi igualmente engraçada...colocamos nossos queridos iniciantes para navegarem no leme...eita ferro!!como era a primeira vez dos malucos,nossos barcos ziguizaguiaram até a Fortaleza Santa-Cruz em niterói...mar calmo e derrepente..."caraca tonho!!tem um rodamoinho ali na frente?" o bacana do Alex com dois pirex na cara..."tem sim e vamos passar por dentro dele pra dar uma cascorada" disse eu...passamos sem problemas e de adrenalina virou endorfina..."valeu tonho!!passamos um sufuco não foi?"quem já foi pra Santa-Cruz sabe que colado na pedra da fortaleza,tem o maior reboliço...acho que tem um gênio maluco que mora ali...deixa pra lá...
Voltamos mais cedo como previsto e ficamos conversando e vendo os cormorões que ainda estavam no aeroporto internacional da P.U,realizando seu treino de como pousar sem virar uma vaca...legal amigos...uma remadinha daqui alí, pode proporcionar um dia bem bacana e feliz...bacana mesmo...quando se está feliz, a rotina do cotidiano é mais fácil de encarar...feliz após navegar então...é o máximo!!!

Grande abraço,
por Tonho Caranguejo

Nenhum comentário:

Postar um comentário