Intermediários

Processos, ferramentas e ambientes para objetivos subjetivos

O que é invisível a nós? Que coisas escapam aos cinco sentidos, que estão presentes mas não podem ser definidas? Ou seria a pergunta, o que é o invisível?

Um objeto é comum. Porém quando é portador de um poder, o que passa a ser? Um talismã, uma arma, um instrumento? O poder transforma o objeto em um veículo, uma ferramenta que permite ao seu operador realizar o objetivo proposto. Igualmente, uma área quando designada e delimitada passa a ser o espaço que possibilita o acontecimento do objetivo proposto. E interessam também os espaços de fronteiras pouco definidas, como são os espaços emocionais e espirituais, da mesma forma os dos sonhos e os das fantasias. Espaços estes que são abstratos e impalpáveis, que se permeiam e se confundem entre si, onde entramos e de onde saímos constantemente sem nos dar conta.

Os objetos-espaços atuam entre o físico, o psicológico, o emocional e o invisível. São intermediários e como tal passam a depositários de possibilidades, poderes e anseios. Pontuam o silêncio. São ações poéticas que existem no vazio entre as continuidades.

Rodrigo Cardoso, 2006

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Serralheria Carioca de Canoagem

Não se pratica só caiaque no CCC. Além dos treinos técnicos de remada e segurança, também se estuda navegação, normas marítimas, meteorologia... Mas ainda não é tudo. Pra manter o clube funcionando, a gente precisa saber fazer mais.  Fim de semana passado teve sessão de serralheria com Roberto Milita e Flávio Violante que chegaram na Urca com muita disposição pra consertar as portas do box. Tive que registrar.


Esses momentos são muito enriquecedores, são oportunidades de fazer e aprender coisas diferentes, melhor ainda, são momentos de convivência colaborativa e de troca. Olha só quem apareceu lá pra dar uma força, Daniel e Gustavo!
Depois chegou o Rafa, e aí virou mutirão.
MUTIRÃO – doTupi Guarani pitibõ, popitibõ, picorõ = ajudar. Auxílio gratuito que prestam uns aos outros os membros de uma determinada comunidade, reunindo-se todos em proveito ou de um de seus membros, ou de todos, como no caso, por exemplo, da implementação de obra(s) de infra-estrutura.Fonte: Dicionário de Palavras Brasileiras de Origem Indígena – Clóvis Chiaradia
http://www.dicionariotupiguarani.com.br/dicionario/mutirao/
Eu e Paulo combinamos de dar uma geralzinha no box, mas vendo a disposição dos "serralheiros", e com a ajuda do Rafael e do Daniel, terminamos jogando muita coisa fora e fazendo uma boa arrumação.
Flavio e Bob mandaram ver, as portas ficaram novinhas. Só falta pintar.
O box, nem se fala. Não tem nada a ver com nossa antiga caverna.

 É isso aí, um brinde ao trabalho em equipe!







Nenhum comentário:

Postar um comentário